Oftalmologia

Conheça o Dr. Bruno Botton

 

Convênios: Unimed, IPE, Cabergs, GEAP, Cauzzo

EXAMES

Biomicroscopia

Exame do olho com o auxílio do biomicroscópio, também conhecido como lâmpada de fenda. É parte integrante do exame de rotina e permite a inspecção das estruturas do segmento anterior com excelente aumento e iluminação adequada. Com lentes especiais, é possível também o exame do fundo de olho.

Curva Tensional Diária

Consiste na medição da pressão intra-ocular em diferentes horários ao longo do dia. É muito importante no diagnóstico e no monitoramento do glaucoma, pois sabe-se que a pressão intra-ocular sofre oscilações nas 24 horas. Geralmente se faz 3 a 4 medidas distribuídas entre as 8 e 18 horas.

Exame de Motilidade Ocular

A avaliação da motilidade ocular é realizada através do cover test (do oclusor manual) ou do reflexo luminoso corneano, solicitando que o paciente fixe o olhar num ponto ou luz , para ser verificado o desvio dos olhos para perto e para longe.

Quando suspeita-se de alguma doença que possa afetar a motilidade ocular, solicita-se ao
paciente que realize a movimentação ocular nas diversas posições do olhar.

Gonioscopia

Exame para análise do ângulo entre a córnea e a íris, por onde é feito o escoamento do líquido formado dentro do olho (humor aquoso), que é importante para regular a pressão ocular. Exame importante para definição do tipo de glaucoma.

Laudos

Acuidade Visual; Tonometria; Biomicroscopia; Fundoscopia; Motricidade Ocular; Senso Cromático

Mapeamento de Retina

O mapeamento da retina é um exame em que todo o fundo do olho e as suas estruturas são avaliados, realizado com a utilização do oftalmoscópio indireto e com o auxílio de uma lente que o médico segura entre o olho e o aparelho, a qual neutraliza o poder de refração da córnea e, assim, permite a visualização das estruturas internas.

Microscopia Especular

A Microscopia Especular de Córnea tem a função de avaliar as células da camada mais profunda córnea, o endotélio, permitindo a análise quantitativa e qualitativa das células da mesma (formato, tamanho, número das células).

Indicado em pré-operatório de cirurgias intraoculares, como a cirurgia de catarata, de
glaucoma, de transplante de córnea, assim como nas degenerações e distrofias da córnea.

Paquimetria

Medição da espessura da córnea por ultra-som. É essencial no pré-operatório de cirurgia refrativa, principalmente, para sabermos até quanto se pode remover de tecido corneano com segurança em cirurgias com laser (ablação para miopia, astigmatismo e hipermetropia). Importante auxiliar na medida da pressão intraocular.

Refração Computadorizada / Ceratometria

É um exame que, de forma aproximada, quantifica o erro refracional (miopia; hipermetropia; astigmatismo) do paciente. Importante para o exame objetivo de refração e auxiliar na prescrição de óculos, adaptação de lentes de contato, diagnóstico de ceratocone e planejamento da cirurgia de catarata.

Teste de Adaptação de Lente de Contato

Conjunto de exames que envolve o teste com lentes de prova para selecionar a lente de contato mais adequada para cada paciente.
Testes preliminares e treinamento no manuseio são muito importantes para uma boa adaptação de lentes de contato.

Teste de Monovisão
Teste de Rosa Bengala

Através da instilação de um corante no olho do paciente é possível avaliar o grau de comprometimento das células da superfície da córnea e da conjuntiva pela baixa proteção do filme lacrimal usada em casos de suspeita de olho seco.

Teste de Schirmer

Utilizado para avaliação da produção de filme lacrimal. Um fita de papel é posicionada na pálpebra inferior e assim a umidade é calculada, usada em casos de suspeita de olho seco.

Teste de Sensibilidade ao Contraste

Detectar alterações visuais que não são detectadas pelos métodos tradicionais de medida da acuidade visual.
Há casos que a visão de contraste ou a sensibilidade à luz podem estar relacionadas a algumas alterações ópticas: astigmatismo com uso de lentes gelatinosas, erros refracionais, pacientes que realizam cirugia refrativa. Há casos que o comprometimento pode estar relacionado a patologias como: Catarata, Glaucoma, Degeneração macular, Retinopatia Diabética, Neuropatias Ópticas, Ambliopia, Adenoma Pituitário, alterações causadas por algumas drogas como àlcool, alterações causadas por substâncias químicas tóxicas.

Teste de Senso Cromático (Ishiara)

Teste específico para analisar o comprometimento da percepção de cores. Indicado em doenças congênitas como daltonismo, doenças do nervo óptico e doenças adquiridas na mácula.

Tonometria

É um exame que mede a pressão interna do olho, necessário em pacientes com suspeita ou com glaucoma e exame regular para pessoas com mais de 35 anos.

Topografia Computadorizada da Córnea

A topografia de córnea é fundamental como pré-exame e para a monitoração dos processos cirúrgicos de correção refrativa, pois apresenta ao oftalmologista a forma exata de sua curvatura, além de apresentar detalhes que outros aparelhos não detectam. É fundamental também para pacientes que desejam utilizar lentes de contato e para pacientes com diagnóstico ou suspeita de ceratocone ou outras distrofias ou degenerações corneanas.

Oftalmologia

Conheça o Dr. Bruno Botton

 

Convênios: Unimed, IPE, Cabergs, GEAP, Cauzzo

TRATAMENTOS

Catarata

Facoemulsificação com implante de lente intra-ocular

A atual cirurgia realizada é chamada de facoemulsificação. Nela, o cristalino é quebrado e aspirado através de um aparelho de ultrassom. Após a aspiração do cristalino, uma Lente Intraocular (LIO) é implantada, com o intuito de restituir a função do cristalino.

Procedimento
Após a cirurgia de catarata é necessário o implante desta Lente Intra-Ocular (LIO). Para entender a real função da LIO, uma breve explicação da função óptica do olho se faz necessária. O olho humano funciona como um sistema dióptrico em que a imagem é formada na retina. A luz para atingir a retina, deve atravessar os meios transparentes do
olho (lagrima, córnea e cristalino). Em alguns casos, a imagem fica distorcida por erros refracionais como miopia, hipermetropia e astigmatismo. Para se obter uma visão perfeita, para longe, esses erros refracionais precisam ser corrigidos, através de óculos ou lentes de contato. O cristalino tem uma propriedade exclusiva, chamada acomodação, que promove a visão de perto, propriedade esta que é perdida após a remoção do mesmo. É necessário o implante da Lente Intraocular para restabelecer o poder dióptrico do olho. Existem vários tipos de LIOs e, basicamente, podemos dividir em três grupos os modelos existentes:

LIOs padrão que corrigem os erros refracionais básicos como miopia e hipermetropia. São implantadas por uma incisão de no máximo 3 mm.
LIOs especiais que corrigem os erros refracionais básicos como miopia e hipermetropia, são asféricas e corrigem algumas aberrações corneanas. São implantadas através de uma microincisão de 1,8 a 2,2 mm.
LIOs premiums que corrigem o astigmatismo e a visão de perto (multifocal), são asféricas e implantadas através de microincisão.

A cirurgia é realizada no centro cirúrgico, com anestesia local e sob sedação. O paciente tem alta no mesmo dia. Toda cirurgia de catarata, assim como qualquer procedimento cirúrgico, está sujeita a todas as adversidades como inflamação, infecção e não obtenção do resultado desejado; havendo, em alguns casos, a necessidade de outros procedimentos cirúrgicos de reparação.

Cirurgia de Córnea

Implante de Anel intra-corneano/Anel de Ferrara

Consiste no implante de segmentos de material compatível com a córnea, com a finalidade de diminuir o Ceratocone e evitar a sua progressão. Funciona bem em 80% dos casos. A função do anel intra-corneano é aplanar a córnea. Poderá ficar grau residual, que pode ser corrigido com óculos, lente ou laser.

Cross-linking ou CxL

O ceratocone é caracterizado pelo afinamento e perda de rigidez da parte central da córnea, que faz com que esta fique mais abaulada (em forma de cone). Esta deformidade provoca distorção e embaçamento da visão e, em casos mais avançados, pode levar à cegueira.
O “Cross-Linking” do colágeno corneano com riboflavina (C3-Riboflavin) é uma técnica inovadora no tratamento de pacientes com ceratocone. O tratamento consiste em aplicar riboflavina (vitamina B2) sobre a superfície da córnea e em seguida aplicar raios ultravioleta do tipo A. O procedimento é ambulatorial e dura aproximadamente uma hora. O tratamento tem por objetivo aumentar o número de ligações entre as fibras de colágeno da córnea doente e criar uma estrutura mais rígida a fim de impedir ou retardar a progressão do ceratocone.

Transplante de Córnea

A Córnea é uma membrana que junto ao cristalino nos ajuda a focalizar um objeto. Como o cristalino, é preciso que ela seja transparente para que os raios de luz cheguem até a retina. Quando a córnea sofre um embaçamento ou apresenta uma curvatura muito elevada é preciso trocá-la por outra transparente. É o que chamamos de Transplante de Córnea ou Ceratoplastia. Existem diversas modalidades de transplante de córnea atualmente, o seu médico saberá
indicar qual o melhor método para o seu caso.
O Dr Bruno Botton realizou após a sua residência médica, mais um ano de especialização em transplante de córnea no Hospital de Clínicas em Porto Alegre.

Laser para remoção de cicatrizes corneanas superficiais ou PTK

 

 

Cirurgia Refrativa à Laser

Miopia
Hipermetropia
Astigmatismo

Cirurgia Refrativa correção a laser de miopia, hipermetropia e astigmatismo
A Cirurgia Refrativa a laser é o procedimento cirúrgico para correção do grau dos óculos (miopia, astigmatismo e ou hipermetropia) feita por meio de um equipamento chamado Excimer Laser através do modo PRK ou do LASIK. O uso do laser torna a cirurgia rápida e precisa permitindo o retorno em poucos dias às atividades sociais e profissionais.
O Dr Bruno Botton em parceria com a Santa Maria Laser Center realiza as cirurgias refrativas a laser na estrutura do Hospital da Unimed de Santa Maria, com o laser Schwind Amaris, um dos lasers mais modernos atualmente.

Técnicas cirúrgicas
PRK
Nesta técnica é realizada uma ceratectomia (remove-se mecanicamente o epitélio corneano) e aplica-se o laser para correção do “grau” do óculos. Como houve a remoção do epitélio é necessário uso de analgésicos, uso de lentes de
contato até a reepitelização corneana. É um processo um pouco mais demorado até a recuperação visual.
LASIK
Nesta técnica utiliza-se um microcerátomo para realizar um corte muito delicado na superfície da córnea com a finalidade de levantar uma fina camada (lamelar). Recuperação visual rápida e indolor, mas necessita de maiores cuidados por se utilizar uma lamina de aço para a realização desta lamela corneana. Após isto levanta-se a lamela e aplica-se o laser e logo a seguir se reposiciona esta lamela.

Cirurgias da Conjuntiva

Exérese de pterígio
Transplante Conjuntival
Recobrimento conjuntival

Adaptação de Lentes de Contato

Gelatinosas, rígidas, tóricas, multifocais, coloridas, portadores de ceratocone, pós-cirurgias corneanas

DOENÇAS

Calázio

Calázio é o nome que se dá ao cisto originado pela obstrução e inflamação de uma glândula sebácea localizada nas pálpebras superior e inferior. Apesar de parecidos, o calázio é diferente do terçol em relação à sua causa, que não provém de infecção.

Sintomas
Pálpebra vermelha, inchada, sensível e quente. Não se deve pressionar ou espremer a protuberância.

Tratamento
Naturalmente, o calázio desaparece após alguns dias. O tratamento com compressas quentes também é recomendável. Em alguns casos , uma cirurgia pode ser realizada para remover o calázio.

Alergia ocular

Alergias oculares podem ser o resultado de uma reacção excessiva do sistema imune do corpo de substâncias estranhas (alérgenos). Os sintomas podem ser sazonais, ocorrendo com mais frequência no final da primavera ou no outono, quando o pólen é o mais comum. As pessoas que têm outras alergias, muitas vezes têm alergias oculares também.

Sintomas
Como em outras alergias podem haver alergias oculares variando em gravidade, de olhos irritados e lacrimejantes para sintomas inflamatórios extensos incluem coceira, ardência, hipersensibilidade à luz, sensação de ter suas pálpebras “grudadas” na parte da manhã por secreção.

Tratamento
Existem várias causas de alergias oculares, mas os objetivos do tratamento são idênticos: prevenção e limitação ou redução dos sintomas. Sempre que possível, o objetivo é de remover o alérgeno agressor. Compressas frias, lágrimas artificiais, descongestionantes tópicos e anti-histamínicos tópicos são estratégias de tratamento típicas.
Em alguns casos, o médico pode prescrever um medicamento anti-inflamatório não esteróide tópico ou um esteróide tópico.

Miopia

Indivíduos míopes geralmente têm problemas em ver bem a uma distância e são forçados a usar óculos ou lentes de contato. O olho míope é geralmente maior do que um olho normal. Portanto, quando a luz passa através da córnea e do cristalino, ela forma-se antes da retina e, isso fará com imagens distantes aparecem borrados. Existem várias soluções disponíveis para corrigir quase todos os níveis de miopia, entre elas, óculos, lentes de contato, cirurgia refrativa a laser e implantes de lente intra-oculares.

Hipermetropia

Indivíduos hipermétropes geralmente desenvolvem problemas de leitura de perto antes da idade de 40.
O olho hipermétrope é geralmente lmenor do que um olho normal e pode ter uma córnea mais plana. Assim, a imagem dos objetos forma-se trás da retina, a menos que o cristalino (lente natural) consiga compensar esse defeito. Objetos mais perto requerem ainda maior poder de foco para serem vistos nitidamente. Óculos, lentes de contato, cirurgia refrativa a laser e implantes de lente intra-oculares são algumas das opções disponíveis para corrigir hipermetropia.

Astigmatismo

Assimetria da córnea ou da lente natural faz com que a luz seja focalizada de forma desigual, causando o astigmatismo. Para pessoas com astigmatismo não corrigido, as imagens podem parecer embaçadas ou sombreadas. O astigmatismo pode acompanhar qualquer tipo de erro refrativo e é muito comum. O astigmatismo pode ser corrigido com óculos, lentes de contato, incisões relaxantes córnea, cirurgia a laser e implante de lentes especiais.

Presbiopia

A presbiopia é uma condição que normalmente torna-se perceptível para a maioria das pessoas em torno de idade 45. Em crianças e adultos jovens, o cristalino (lente natural dentro do olho) pode facilmente focalizar objetos distantes e próximos. Com a idade, o cristalino perde a sua capacidade para focar adequadamente.
Para compensar, os indivíduos afetados costumam segurar o material de leitura mais longe para tentar melhorar a imagem. Além de óculos, a presbiopia pode ser tratada de várias maneiras. As opções incluem: lentes de contato com monovisão ou multifocais, correção da visão a laser por monovisão e implantes de lentes intra-oculares multifocais.

Ceratocone

Uma ocorrência bastante comum, ceratocone ocorre quando parte da córnea eleva-se, formando uma espécie de cone. Isto reduz e distorce a visão
Ceratocone afeta cerca de 1 em cada 1.000 pessoas. Começa, na maioria das vezes, na adolescência, e, geralmente, ocorre sem outras doenças oculares. Em alguns casos, o ceratocone é diagnosticada em pacientes pediátricos, enquanto em outros casos, pode não se desenvolver até a idade adulta.

Sintomas
Os sintoma principal é piora da acuidade visual em um ou ambos os olhos. Em alguns casos, contudo, a visão deteriora-se rapidamente e a visão noturna torna-se extremamente pobre. Algumas pessoas notam a visão em um olho é significativamente pior do que no outro, mas geralmente a doença afeta os dois olhos, de forma assimétrica.
O sintoma clássico do ceratocone são imagens “fantasmas” – chamados poliopia monocular. Isto significa que, em vez de apenas ver um ponto de luz, a pessoa vê muitas imagens, todos espalhados em uma ordem aleatória. Outros sintomas incluem sensibilidade a luz, chamada fotofobia, esforço ocular para focalizar objetos e coceira ocular.

Causas
Exitem várias causas de ceratocone, incluindo genética e o ato de coçar os olhos. Curiosamente, em pacientes que têm um olho com ceratocone mais avançado, os pacientes frequentemente relatam que esfregam um olho mais que o outro. Outras causas potenciais incluem doenças oculares – tais como retinite pigmentar, retinopatia da prematuridade, ou ceratoconjuntivite primaveril – ou doenças sistêmicas, como a síndrome de Down ou amaurose congênita de Leber.

Tratamento
O tratamento começa com óculos de prescrição. Quando a visão distorcida (astigmatismo) continua a agravar-se, porém, necessita-se de lentes de contato especiais. Estas lentes de contato exigem um ajuste muito preciso, e precisam ser atualizados conforme a condição piora.
Sem tratamento, ceratocone pode progredir para um ponto onde se desenvolve cicatrização da córnea, e o único tratamento que vai restaurar a visão é um transplante de córnea. Durante a última década, um tratamento tem sido desenvolvido e pode prevenir o agravamento do ceratocone. Este tratamento é chamado de crosslinking de colágeno
corneano com riboflavina (vitamina B2), e funciona através do reforço da córnea para travar a evolução da doença. O tratamento leva cerca de uma hora. Outro procedimento que é por vezes usado para o ceratocone é o implante de anel de Ferrara. Os anéis são colocados dentro da córnea e podem remodelá-la. Estes têm sido úteis, mas que apenas retardar a progressão do ceratocone; eles não são uma cura e apenas em alguns casos param a evolução do ceratocone.
Embora ceratocone seja uma condição desafiadora para os pacientes, os recentes avanços nos tratamentos melhoraram muito os resultados visuais a longo prazo dos pacientes. Buscar avaliação do oftalmologista para discutir as várias opções é importante, porque quanto mais cedo os pacientes iniciam o tratamento (como o crosslinking), mais provável ele vai preservar uma boa visão.

Blefarite

A blefarite é uma inflamação das pálpebras, levando a vermelhidão, irritação e coceira nas pálpebras além da formação de crostras parecidas com “caspas” nos cílios. É um distúrbio ocular comum causado por qualquer bactéria ou uma condição da pele, tais como caspa do couro cabeludo, acne ou rosácea. Afeta pessoas de todas as idades, embora desconfortável, não é contagiosa e geralmente não causa nenhum dano permanente à visão.

Blefarite é classificada em dois tipos:
• Blefarite anterior ocorre na borda frontal do lado de fora da pálpebra onde os cílios estão ligados.
• Blefarite posterior afeta a borda interna da pálpebra que entra em contato com o globo ocular.

Sintomas
Indivíduos com blefarite podem experimentar sensação de corpo estranho ou ardência nos olhos, lacrimejamento excessivo, coceira, pálpebras inchadas e vermelhas, olhos secos, ou crostas nas pálpebras. Para algumas pessoas, blefarite provoca apenas pequenas irritações e coceira. No entanto, isso pode levar a sinais e sintomas mais severos, tais como visão turva, falta cílios e a inflamação da córnea.
Em muitos casos, uma boa higiene da pálpebra e uma rotina de limpeza regular pode controlar a blefarite. Isso inclui lavagens frequentes do couro cabeludo e do rosto, usando compressas mornas. Nos casos em que uma infecção bacteriana é a causa, vários antibióticos e outros medicamentos podem ser prescritos juntamente com a higiene da
pálpebra.

Causas
• Blefarite anterior é comumente causada por bactérias ou caspa do couro cabeludo e sobrancelhas. Ela também pode ocorrer devido a uma combinação de fatores, ou menos frequentemente pode ser o resultado de alergias.
• Blefarite posterior pode ser causada pela produção de gordura excessiva pelas glândulas palpebrais, que cria um ambiente favorável para o crescimento bacteriano. Pode também desenvolver-se como um resultado de outras condições da pele tais como acne , rosácea ou caspa do couro cabeludo.

Tratamento
O tratamento depende do tipo de blefarite. A chave para o tratamento da maioria dos tipos de blefarite é manter os cílios limpos e livre de crostas. Limitar ou interromper o uso de maquiagem dos olhos é frequentemente recomendada.
• Compressas quentes podem ser aplicadas para soltar as crostas, seguido por lavagem suave dos olhos com uma mistura de água e xampu ou um produto de limpeza. Nos casos que envolvem a infecção bacteriana, um antibiótico também pode ser prescrito.
• Soluções de lágrimas artificiais ou pomadas lubrificantes podem ser prescritos em alguns casos.
• Uso de um shampoo anti-caspa no couro cabeludo pode ajudar.
• Se você usar lentes de contato, você pode ter que interromper temporariamente seu uso durante o tratamento.
Alguns casos de blefarite podem necessitar de tratamento mais complexos. Blefarite raramente desaparece completamente, mesmo com o tratamento bem sucedido, podem ocorrer recidivas.

Úlcera de córnea

A úlcera de córnea é uma lesão ou ferida na córnea, que é a camada transparente que cobre a parte pigmentada do olho (íris). Pode ocorrer tanto em adultos como em crianças.

Causas
Na maioria dos casos, as úlceras da córnea ocorrem como o resultado de uma infecção ocular. Os tipos de infecções oculares que podem levar a úlceras de córnea incluem o seguinte:
• Infecções bacterianas (mais comum em usuários de lentes de contato)
• Infecções virais, tais como herpes simplex (o vírus que causa a herpes labial) e varicela (o vírus que causa a varicela e herpes zoster)
• As infecções fúngicas, que podem ocorrer como resultado de cuidados impróprios com lentes de contato ou o uso excessivo de colírios corticoesteróides

As úlceras da córnea também pode ser causada por trauma direto no olho, tais como arranhões, que podem causar pequenas lesões na córnea, tornando-se mais fácil para invasão bacteriana. Distúrbios que impedem a pálpebra do olho de fechar completamente, como a paralisia de Bell, pode causar ressecamento da córnea, deixando o olho mais
suscetível a úlceras.
Doenças auto-imunes como a artrite reumatóide, lúpus eritematoso sistêmico, Doença de Behcet, além de diversos outras doenças auto-imunes podem desencadear úlceras corneanas. Além disso, deficiências nutricionais, especialmente a deficiência de vitamina A, pode causar úlcera corneana.

Tratamento
Antibióticos, antifúngicos e medicamentos antivirais são freqüentemente usados para tratar a fonte particular de uma ceratite. O seu médico provavelmente irá prescrever antibióticos de amplo espectro imediatamente. Em alguns casos, pode ser necessária mais de uma medicação. Os corticosteróides tópicos devem ser evitados em diagnósticos de ceratite por herpes simplex, uma vez que estes medicamentos podem ser muito prejudiciais nestes casos.

Úlceras relacionadas a lentes de contato

Usuários de lentes de contato têm maior risco de desenvolver úlceras. Pessoas que usam as lentes de contato em regime extendido (aqueles que dormem a noite com as lentes) têm 10 vezes mais propensão a desenvolver esta condição. Na verdade, um em cada 2.500 usuários de lentes de contacto diárias e 1 em 500 usuários de lentes de contato durante a noite irá desenvolver ceratite bacteriana a cada ano.

A seguir estão algumas maneiras em que as lentes de contato podem contribuir para úlceras de córnea: lentes rasgadas que podem arranhar a córnea; bactérias na lente devido a métodos de limpeza impróprios e privação de oxigênio à córnea devido a uso prolongado das lentes de contato.

Sintomas
Os sintomas são geralmente de início rápido e ocorre no prazo de 24 horas depois da infecção. Os sintomas da úlcera de córnea incluem dor nos olhos, vermelhidão, sensação de corpo estranho, lacrimejamento, pus ou secreção, visão turva, dor ou desconforto ao olhar para luz e inchaço das pálpebras. Além disso, se a úlcera é grande, pode ser visível, e pode aparecer como uma mancha redonda branco ou cinzento. Se você notar uma mudança em sua visão, dor severa, ou secreção óbvia que vem de seu olho, você deve consultar o seu oftalmologista com urgência.

Tratamento
O seu médico terá de remover as suas lentes, imediatamente. As úlceras de córnea são frequentemente associados a infecção, portanto seu oftalmologista provavelmente irá prescrever colírio antibiótico. Dependendo do tamanho da infecção, pode ser necessário para administrar essas gotas tão frequentemente quanto uma vez por hora. O médico
também pode prescrever medicamentos para a dor oral, ou, eventualmente, colírios que podem controlar a dor. Antibióticos, anti-fúngicos ou anti-virais também pode ser prescrito, dependendo da fonte de a sua úlcera da córnea e a infecção. Úlceras muito graves, e aqueles que não respondem aos medicamentos, pode necessitar de cirurgia de transplante de córnea.

Cuidados em casa
Existem coisas que você pode fazer em casa para ajudar a uma úlcera de córnea curar mais rapidamente. Aplicar compressas frias sobre os olhos pode aliviar o desconforto e reduzir a inflamação. Você também pode tomar medicamentos para a dor como o ibuprofeno e acetaminofeno, se não houver contra-indicação médica para tal ou alergia a esses medicamentos. É importante lembrar que durante este tempo, você deve lavar as mãos com frequência e não tocar o olho afetado com os dedos. Você deve abster-se do uso de lentes de contato até o seu médico dizer que é apropriado fazê-lo, e você deve entrar em contato com seu oftalmologista se os sintomas se agravarem.

Prevenção
Prevenção de úlceras de córnea é preferível a qualquer tratamento, e existem várias coisas que você pode fazer em termos de prevenção, especialmente se você é usuário de lente de contato. A seguir estão algumas etapas de cuidado que os usuários de lentes de contato podem tomar para garantir uma córnea saudável:
• Limpe cuidadosamente as suas lentes, com a solução multiuso indicada pelo seu médico e não use água da torneira ou saliva em qualquer parte de sua limpeza, armazenamento ou regime de lubrificação.
• O líquido multiuso para limpeza de lentes de contato é o produto que deve ser usado para limpeza, manutenção e armazenamento das mesmas, evite soro fisiológico
• Limpe sua caixa de lente de contato em uma base regular, com água fervida e sabão neutro
• Trocar com regularidade a sua caixa de lente de contato por uma nova diminui a chance de contaminação
• Guarde as suas lentes na solução específica para desinfecção durante a noite
• Não dormir em suas lentes
Embora existam várias lentes atualmente aprovadas para uso durante a noite, estas lentes não são aconselháveis para aqueles com uma tendência a desenvolver úlceras de córnea. O seu médico irá aconselhá-lo sobre opções de lentes de contato.

Além disso, se você tende a ter os olhos secos ou qualquer condição da pálpebra, use lágrimas artificiais para manter sua córnea lubrificada.

Olho seco

Os olhos são cobertos por uma película lacrimal que ajuda a manter sua visão clara e confortável. Quando a camada está danificada, de alguma forma, o resultado é uma película de lágrima desestabilizada que resulta na síndrome do olho seco. Pessoas com olhos secos ou não produzem lágrimas suficientes ou têm uma má qualidade de lágrimas. O sintoma mais comum de doença do olho seco é uma incapacidade para formar essa camada protetora, o que leva a visão turva e desconforto. O olho seco é um problema comum e muitas vezes crônico, particularmente em pessoas idosas.
Lágrimas são importantes para a saúde do seu olho. Mais do que apenas água, as lágrimas são uma combinação de água, ácidos graxos, proteínas e eletrólitos, substâncias que combatem bactérias. Quando olho seco ocorre, geralmente afeta ambos os olhos simultaneamente.

Sintomas
Há vários sintomas comuns de olho seco, incluindo queixas de irritação ou olhos arranhados. Outros sintomas incluem uma sensação de “corpo estranho”, lacrimejamento excessivo, irritação exacerbada em condições de vento, aumento da sensibilidade à luz, dificuldade usando lentes de contato durante a quantidade recomendada de tempo.

Causas
Há vários fatores que podem contribuir para a probabilidade de desenvolver a síndrome do olho seco. Esses incluem:
1. Idade: Conforme você envelhece, seus olhos se tornam naturalmente mais susceptíveis a olho seco. A maioria das pessoas com idade superior a 65 anos têm alguns sintomas de olho seco.
2. Sexo: As mulheres são mais propensos a ter condições de olho seco, exacerbadas pela terapia de reposição hormonal, gravidez, ou a utilização de contraceptivos orais
3. Outros médicos condições / tratamentos: pessoas que usam lentes de contato, ou que tenham sido submetidos a LASIK podem ser mais susceptíveis à síndrome do olho seco. Medicamentos como anti-histamínicos, descongestionantes, medicamentos para pressão arterial, e antidepressivos podem afetar a qualidade das lágrimas.
Várias condições médicas – incluindo artrite, diabetes ou doenças da tireóide – podem causar condições de olho seco. Condições oculares como blefarite (inflamação das pálpebras), inflamação da córnea ou quando seus cílios se voltam
para dentro, também podem resultar em olho seco.
4. Condições ambientais: Vento e climas secos podem afetar a rapidez com que suas lágrimas evaporaram.

Tratamento
O olho seco é geralmente uma condição crônica, porém existem vários tratamentos seu médico pode prescrever. Vitaminas e dietas ou suplementos dietéticos ricos em ácidos graxos ômega-3 e ômega-6 pode ajudar a diminuir o risco de desenvolver a síndrome do olho seco.
Em primeiro lugar, o seu médico provavelmente irá sugerir o uso de lágrimas artificiais. Soluções de lágrimas artificiais sem conservantes são preferidos porque têm menos produtos que podem irritar ainda mais seus olhos. Às vezes as pessoas não terão seus sintomas desaparecendo com as lágrimas artificiais sozinho. A segunda abordagem é tentar manter as lágrimas que produzem em seus olhos por mais tempo. Isto é feito através do bloqueio da área de drenagem do olho por inserção de pequenos “plugs” para os canais lacrimais.
Pessoas com sintomas mais graves podem ser ajudados por uma lente de contato especial, chamado de Lente Escleral. Esta lente senta-se ao longo de toda a frente do seu olho, criando uma camada cheio de líquido que não seca.
Por último, se você tem uma condição de pálpebra, que leva a olho seco você deve ser encaminhado para um especialista que pode reparar cirurgicamente as pálpebras.

Conjuntivite

Conjuntivite é uma inflamação da camada transparente (conjuntiva) que fica sobre a parte branca do olho (esclera) e a superfície interna das pálpebras. Conjuntivite é bastante comum e geralmente não resulta em qualquer dano a longo prazo para os olhos ou visão. Às vezes a conjuntivite resolve-se por conta própria, mas a maioria dos tipos necessita de
algum tipo de tratamento.
Pode ser causada por alergias, em alguns casos. Pode ser causada pela mesma bactéria que causa resfriados, infecções de ouvido, sinusite ou dor de garganta. Ela também pode ser causada pelos mesmos bactéria que causa a clamídia e gonorreia (doenças sexualmente transmissíveis).

Sintomas
• Vermelhidão, irritação e lacrimejamento são os sintomas mais comuns
• Secreção mucóide ou purulenta, dependendo do tipo e intensidade.
• Crostas no olho infectado ( olho acorda “grudado”)

Conjuntivite neonatal
• Se não for tratada em recém-nascidos, pode causar cegueira. Estima-se que cerca de 10% de todas as mulheres grávidas têm uma infecção por clamídia; isto aumenta a probabilidade de desenvolvimento de conjuntivite no recém-nascido em 10-20%.
• Conjuntivite neonatal também pode ser causada por vírus herpes simplex tipo 2 encontrado na área genital da mãe que infecta os olhos de crianças durante o parto.

Tratamento
Conjuntivite resolve-se dentro de uma semana, na maioria dos casos. Colírio antibiótico ou pomadas são os tratamentos mais prescritos. Lágrimas artificiais também podem ajudar a aliviar os sintomas. Conjuntivite alérgica persistente pode também ser tratado com esteróides tópicos.

Moscas volantes

Moscas volantes são um fenômeno comum, muitas vezes descrito como pequenos fios, teias de aranha ou manchas que flutuam para lá e para cá na visão , seguinte a movimentos da cabeça ou dos olhos. Eles são normalmente o resultado de pequenas condensações ou células dentro do gel, ou vítreo, na parte posterior do olho. Elas são muitas vezes mais perceptíveis quando se está olhando para o céu ou uma superfície branca. Algumas moscas volantes são normais, e são mais comuns com a idade, especialmente em pessoas que são míopes. Um aumento súbito nos pontos pretos, no entanto, especialmente uma névoa súbita de partículas e teias por vezes acompanhada de flashes de luz, como um raio, podem ser um sintoma de um problema mais grave, tal como uma ruptura ou descolamento da retina.
Estes sintomas requerem um exame de fundo de olho completo no prazo de 24 a 48 horas, e deve-se procurar o oftalmologista, com brevidade, caso estes sintomas ocorram.

Glaucoma

O glaucoma é uma família de doenças que causam dano ao nervo óptico que, se não for tratada pode provocar a perda da visão periférica (lateral) e, com o passar do tempo, a visão central, causando cegueira total. É geralmente causada pelo aumento da pressão no olho, mas pode ocorrer com pressão ocular normal. Glaucoma é conhecido como “o ladrão silencioso da visão”, porque no início do processo da doença, há pouco ou nenhum sintoma; dados de estudos revelam que de todos os pacientes com glaucoma, mais de metade não percebem que eles têm.

Glaucoma é mais comum em pacientes com mais de 40 anos de idade, mas pode ser visto antes. Há um componente genético para glaucoma assim que ter um familiar com glaucoma aumenta o seu risco. Glaucoma é mais prevalente em afro-americanos, afro-caribenhos e certas populações hispânicas. O risco também é maior para os pacientes que usam esteróides, quer por via oral, intranasal , tópico ou inalado.

O olho saudável tem um número de pressão entre 8 e 22. A pressão é gerada pelo fluxo de fluido (humor aquoso) através do olho e de volta para a corrente sanguínea. Esta pressão é independente da pressão sanguínea de uma pessoa. O fluido é feita pelos processos ciliares (atrás da íris) e circula através da pupila para a malha trabecular (o filtro nos cantos da parte da frente do olho). Uma vez que o olho é um sistema fechado, se o fluido não pode fluir
para fora do olho tão rapidamente como é produzida, consequentemente, a pressão irá subir.

Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI)

Esta é uma condição comum, muitas vezes assintomática, que afeta indivíduos mais velhos, após a idade de 60. Menos comumente pode afetar pessoas mais jovens, especialmente se eles tem o olho muito míope. A mácula é o centro da retina no fundo do olho e é responsável pela parte central da visão que nos permite ler e ver o detalhe fino. Com a idade, esta porção central da retina pode sofrer alterações degenerativas que, se severas, podem levar à perda grave de visão central. Recentemente tornou-se claro que a genética desempenha um papel importante na susceptibilidade à degeneração macular e uma história familiar de pais e irmãos é um fator de risco. Outros fatores de risco incluem tabagismo, sexo feminino, olhos claros e hipermetropia.

A degeneração macular é normalmente dividido em duas categorias: seca e molhada. A forma seca é mais comum e geralmente tem muito menos efeitos sobre a visão. Neste caso, a camada de pigmento por trás da mácula sofre atrofia e pode acumular depósitos de resíduos, chamadas “drusas”, que são visíveis para o oftalmologista como manchas
amareladas na parte posterior do olho. Muitas vezes, a degeneração macular seca não afeta a visão, mas em casos mais graves a visão pode ser afetado na área central. Não há maneira conhecida eficaz para melhorar a degeneração macular seca, mas há trabalhos mostrando que as vitaminas antioxidantes A, E, C, e de zinco, em doses específicas, pode retardar a sua evolução e reduzir o risco de perda de visão. Estes só deve ser tomada após consulta
com um médico, pois podem ter efeitos secundários.

Degeneração macular forma úmida, é assim chamada porque é resultado de novos vasos sanguíneos anormais minúsculos que crescem e invadem o espaço atrás da mácula, causando vazamento de sangue e fluidos. Muitas vezes é precedida por degeneração seca, e um exame por um oftalmologista pode identificar pessoas que possam ser assintomáticas, mas em risco de desenvolvimento desta forma mais grave da doença. DMRI forma úmida é menos comum, mas quando ocorre pode causar perda mais grave da visão. Os sintomas podem começar como embaçamento progressivo gradual ou distorção da visão. Objetos simples tais como postes de telefone ou persianas podem aparecer tortos. Às vezes, a perda da visão ocorre de forma abrupta e sem nenhum aviso. As pessoas com esta forma da doença em ambos os olhos podem acabar perdendo a capacidade de ler, dirigir ou reconhecer rostos, mas quase nunca perdem a sua visão periférica. Eles, portanto, permanecem capazes de funcionar de forma independente, embora possam necessitar de ajuda em tarefas envolvendo leitura e transporte.

A degeneração macular pode ser diagnosticada com o exame de fundo. Muitos outros exames, tais como a angiografia ou tomografia de coerência óptica, podem ser necessários para diagnosticar e formular o tratamento adequado, se for o caso, para a doença.
Ao longo dos últimos anos, vários tratamentos para a DMRI úmida tornaram-se disponíveis o que pode impedir a sua progressão e, em alguns casos, até mesmo reverter a perda de visão. Estes geralmente incluem medicamentos que são injetados diretamente no olho em um procedimento chamado uma injeção intravítrea. Infelizmente, os tratamentos não são eficazes em todos os pacientes, e mesmo quando eficaz, muitas vezes necessitam
ser repetidos periodicamente para controlar a doença. Degeneração macular é uma doença crônica que pode ser tratada, mas, não tem cura. Há muita investigação em curso sobre a degeneração macular e muitos tratamentos experimentais estão sendo testados em centros acadêmicos.

Catarata

A catarata é uma turvação da lente natural dos olhos (cristalino). O cristalino normalmente torna-se opaco. Quando a lente natural enfrenta esse efeito turvação, a qualidade da visão é diminuída. Muitas pessoas descrevem a sensação como olhar através de uma janela do carro nevoeiro ou um pedaço de papel de cera.

O cristalino é responsável por focar os raios de luz na retina, que é a parte do olho que percebe a luz e transmite estas imagens para o cérebro. Quando o cristalino torna-se opaco os raios não passam com boa nitidez. A visão fica embaçada neste momento e com a catarata se desenvolvendo, torna-se cada vez mais difícil de ver. Desenvolver catarata é parte do processo normal de envelhecimento. Muitos oftalmologistas afirmam que se você viver o suficiente você vai desenvolver catarata.

Causas
A catarata é causada principalmente pela idade, traumatismo, hereditariedade e exposição a raios ultravioleta. Catarata também pode ocorrer como resultado de uma doença do olho, após a utilização de certos medicamentos ou como resultado de condições médicas tais como diabetes.
• Catarata senil – A idade é uma das principais causas de desenvolver cataratas.
• Catarata Congênita – Defeitos durante a gestação
• Fatores ambientais, tais como doenças, produtos químicos tóxicos e medicamentos
• Acidentes ou ferimentos
• Exposição à luz ultravioleta
• Cigarro

Tratamento
A atual cirurgia realizada é chamada de facoemulsificação. Nela, o cristalino é quebrado e aspirado através de um aparelho de ultrassom. Após a aspiração do cristalino, uma Lente Intraocular (LIO) é implantada, com o intuito de restituir a função do cristalino.